A EVOLUÇÃO DE DIGIMON JUNTO COM A TECNOLOGIA

A EVOLUÇÃO DE DIGIMON JUNTO COM A TECNOLOGIA

Digimons, digitais, Digimons são campeões! Se você cresceu nos anos 1990 e 2000, provavelmente conhece Digimon, nome que junta as palavras “digital” e “monstro”. O anime, intitulado Digimon Adventure, foi lançado em 1999 e contou com 54 episódios. Foi produzido pela Toei Animation, estúdio responsável por outros clássicos como Dragon Ball, One Piece e Sailor Moon. Conta a história de um grupo de crianças, os chamados Digiescolhidos, que vão a um acampamento de verão e acabam sendo transportadas para o Digimundo, um mundo virtual paralelo ao real. Lá, elas conhecem os Digimons, que se tornam seus parceiros e os ajudam a salvar os dois mundos.

Imagem promocional de Digimon Adventure. Fonte: Divulgação/Toei.

E não parou por aí. Digimon já ganhou diversas temporadas ao longo dos anos, com os protagonistas originais e novos, trazendo temáticas diferentes a cada vez, acompanhando as evoluções tecnológicas. Algumas dessas continuações são bem recentes, até mesmo de 2020! Foram lançados animes, mangás, filmes, videogames, jogos de cartas e muitos produtos. Mas você sabe como surgiram? Conhece todas as mídias dessa franquia? Não se preocupe: nós explicamos! Venha com a gente conhecer as origens desse universo e tudo o que veio depois.

As origens: Tamagotchi e Digital Monster

A criação de Digimon está diretamente ligada a outra febre dos anos 1990 e 2000: o Tamagotchi. Você se lembra? O objetivo do jogo era cuidar de um pet virtual, que precisava ter todas as suas necessidades básicas atendidas para poder crescer, se não o bichinho morria. Ele não foi o primeiro simulador desse tipo, mas foi o que mais fez sucesso. Lançado em 1996, era possível carregar o Tamagotchi para todos os lugares, por ser pequeno como um chaveiro, e tinha o formato arredondado e várias cores diferentes. O nome do game é a junção das palavras tamago (“ovo”, em japonês) e uotchi (palavra japonesa para watch, “relógio”).

O Tamagotchi era primariamente voltado para o público feminino infantil e adolescente. Por um lado, o jogo ensinava as crianças a terem responsabilidade, mas por outro podia provocar um fixação extrema com o bichinho virtual. O game continua sendo comercializado até hoje (já são mais de 82 milhões de unidades vendidas), com várias versões diferentes. Elas podem temáticas, como de Natal; comemorativas, como a de 20 anos do lançamento; e até de animes e personagens famosos, como Neon Genesis Evangelion e Gudetama. Existem também aplicativos para celular e até mesmo jogos para consoles. Para além dos games, ganhou também adaptações em filmes e animes.

Tamagotchi. Fonte: UOL.

Com a popularidade, a empresa Bandai começou a ter novas ideias. Em 1997 foi lançado o Digital Monster, que dessa vez tinha os meninos como público-alvo. Como o Tamagotchi, também precisava cuidar do bichinho, mas adicionalmente era possível se conectar com o jogo de um amigo e fazer com que os pets lutassem entre si. Da mesma maneira, foi um sucesso de vendas, o que motivou a criação de cada vez mais designs novos de personagens, que depois seriam utilizados nas adaptações. A maioria dos monstros digitais tinha a aparência forte e ameaçadora, um contraste com os fofos que apareciam mais no seu antecessor. Uma curiosidade é que mais tarde eles até lançaram versões do game que pareciam com os Digivices que as crianças usam no anime.

Digital Monster. Fonte: Digivicemon.

Mangás, filmes e jogos

Os criadores então perceberam a possibilidade de expansão daquilo. No mesmo ano de lançamento de Digital Monster, foi lançado o capítulo único (one-shot) C’mon Digimon. Nessa história, os Digimons são monstros que batalham dentro de computadores portáteis, e as crianças os comandam. Em 1998 estreou o mangá Digimon Adventure V-Tamer 01, em que os jovens competem em torneios de batalha de bichinhos virtuais chamados V-Pet. Essa trama introduz a primeira versão de Taichi Yagami (Tai Kamiya no Brasil), que viria a ser o protagonista do primeiro anime da franquia. Logo em seguida vieram os videogames Digital Monsters Version S Digital Tamers e Digimon World, bem recebidos pelo público.

Tudo isso abriu caminho para o lançamento de Digimon Adventure, que já estava sendo planejado desde o ano anterior. Um dia antes do primeiro episódio ir ao ar, o curta-metragem de mesmo nome passou nos cinemas japoneses. Ele serve como prequela para o anime e traz os personagens Taichi e sua irmã Hikari (Kari na versão brasileira) quando mais novos encontrando Digimons no mundo real pela primeira vez. O filme foi dirigido por Mamoru Hosoda, conhecido por trabalhos como Crianças Lobo, A Garota que Conquistou o Tempo e O Rapaz e o Monstro. Com isso, as pessoas puderam se familiarizar com a história e criar expectativas.

Taichi e Hikari no filme. Fonte: Divulgação/Toei.

Além desses que já foram citados, mais tarde Digimon teve outros mangás, curtas-metragens, filmes, videogames e até mesmo jogos de cartas. Vendeu ainda muitos produtos, como pelúcias, réplicas de Digivices e por aí vai. As cartas e games, por exemplo, são lançados até hoje. É tanta coisa que nem dá para falar tudo aqui.

As novas temporadas

Depois da primeira temporada, em 2000, a franquia ganhou um novo curta-metragem chamado Digimon Adventure: Our War Game, também dirigido por Hosoda. E aí veio a segunda temporada do anime: Digimon Adventure 02 estreou no mesmo ano e teve um total de 50 episódios. Nessa continuação, os personagens originais estão mais velhos e somos apresentados a novos Digiescolhidos também. Em vez dos brasões da série anterior, essa história introduz uma nova forma de evoluir, usando os Digiovos. Além disso, os vilões não são apenas Digimons, mas sim humanos também.

Digimon Adventure 02. Fonte: Divulgação/Toei.

A terceira temporada, Digimon Tamers, é de 2001 e tem 51 episódios. Tamers já não traz mais os personagens antigos, apresentando um elenco totalmente novo, além de um universo diferente. Nesse mundo, Digimon é um popular jogo de cartas (estratégia para vender esse tipo de produto para os fãs), e o Digivice é usado junto com essas cartas. Ele se assemelha mais ao sistema de batalhas do game Digital Monster, em que o primeiro instinto era lutar para depois se tornar amigo, algo que os Digimons aprendiam com seus parceiros humanos. Vale notar que essa temporada foi bem mais sombria e triste do que a saga Adventure.

Digimon Tamers. Fonte: Divulgação/Toei.

Em 2002 estreou a quarta temporada, Digimon Frontier, com 50 episódios. Diferentemente das séries anteriores, as crianças podiam se transformar em Digimons através de espíritos chamados Guerreiros Lendários. Dessa maneira, os Digiescolhidos da vez participavam mais das lutas. Frontier é bastante criativo e tem uma trama rápida, em que muitas coisas acontecem mesmo com tantos capítulos. Há também muito desenvolvimento de personagens.

Digimon Frontier. Fonte: Divulgação/Toei.

Depois de um tempo sem lançar nada relacionado à franquia, em 2006 veio a quinta temporada: Digimon Savers, também chamada de Digimon Data Squad, com 48 episódios. Essa saga traz de volta o conhecido Digimon Agumon e retrata uma organização governamental, criada para lidar com problemas relacionados ao mundo real e ao Digimundo. Os personagens principais são um pouco mais velhos, desde adolescentes até jovens adultos, em vez das crianças das versões anteriores.

Digimon Data Squad. Fonte: Divulgação/Toei.

Em 2010 estreou a série mais longa de Digimon até o momento: Digimon Xros Wars (lê-se Digimon Cross Wars), ou Digimon Fusion. Foram três temporadas só desse título, totalizando 79 episódios. Nesse anime, as crianças, chamadas de Fusion Fighters, podem juntar seus parceiros Digimon entre si para criar monstros ainda mais poderosos. Mais tarde, em 2016, foi lançado Digimon Universe: App Monsters, com 52 episódios. Nessa trama, que se passa em 2045, os Digimons vivem em aplicativos e os protagonistas precisam lutar com uma inteligência artificial do mal.

2015 marca a volta da popular saga Adventure, para celebrar o aniversário de 15 anos da franquia. Digimon Adventure Tri é uma série de seis filmes que traz os Digiescolhidos originais, agora no ensino médio, e seus parceiros Digimon, além de novos personagens e mais ameaças ao Digimundo e ao mundo real. Funciona como continuação direta para Digimon Adventure e Digimon Adventure 02 e se passa três anos depois, no ano de 2005. Enquanto os designs dos humanos têm um novo estilo, os bichinhos mantém o desenho original. Os filmes estão disponíveis na plataforma de streaming Crunchyroll.

Digimon Adventure Tri. Fonte: Divulgação/Toei.

Para o aniversário de 20 anos, foi lançado um novo filme e mais uma série animada. Digimon Adventure: traz os personagens do primeiro anime para os dias atuais, com todas as tecnologias de hoje. Isso proporciona uma visão diferente para a história, e pode tanto atrair novos fãs como manter os antigos. Sem falar que isso é bem simbólico, considerando que os Digimons são capazes de renascer no anime, então o mesmo acontece com essa franquia. O lançamento é simultâneo com o Japão, com novos episódios todos os sábados às 23h30 pela Crunchyroll. Já foi confirmado que serão 66 capítulos no total, sendo que atualmente está no número 24.

O reboot mantém o design de personagens do original, o que é bem nostálgico, e traz bastante qualidade para a animação, além de novas músicas. Porém, falta um pouco de tridimensionalidade para os personagens, que é uma das partes mais incríveis do primeiro anime, e mais motivações na narrativa. Ainda assim, vale a pena assistir se é fã da franquia, ou se gostaria de entrar para esse universo. Na sequência temos o filme Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna, que serve como uma despedida dos Digiescolhidos originais e seus Digimons, abrindo caminho para a nova série. O longa estreou no Japão em fevereiro deste ano, mas ainda não tem data para vir oficialmente para o Brasil.

Digimon Adventure: (2020). Fonte: Divulgação/Toei.
Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna. Fonte: Divulgação/Toei.

Um marco no gênero isekai

Digimon é considerado um isekai, gênero que retrata pessoas do nosso mundo indo para um novo, ou o contrário. Nós ainda vamos fazer um post explicando mais detalhes sobre esse tipo de anime (fiquem ligados!), mas é importante ressaltar que Digimon foi muito marcante dentro dessa temática. A virada do milênio marca uma evolução nas tecnologias, que iam sendo cada vez mais utilizadas na rotina das pessoas. Como foi lançada na transição entre os anos 1990 e 2000, essa foi a primeira animação a verdadeiramente incorporar o digital dentro do isekai, trazendo uma nova geração de histórias. As tramas modernas que seguem essa linha devem muito a Digimon.

Digivice. Fonte: Divulgação/Toei.

Temas abordados

Apesar das comparações com Pokémon muitas vezes serem inevitáveis, Digimon traz seus próprios ensinamentos. Através dos laços das crianças com seus Digimons e das sequências de Digievolução, o anime ensina muito sobre crescimento e amadurecimento. Mesmo que tenham que deixar o passado para trás, as memórias ficam. Esse é o ponto central dessa história. Os Digiescolhidos aprendem com suas falhas e a conviver uns com os outros, criando uma amizade muito forte apesar de tudo. Precisam também descobrir como lidar com suas emoções e superar o luto. Nesse quesito, difere bastante de seu “rival”. Há bastante complexidade no modo como mostram essas temáticas e desenvolvem os personagens.

Pokémon foi um fenômeno estrondoso e é muito conhecido até hoje, mesmo por pessoas que não costumam consumir animes e mangás, além de continuar lançando animações e jogos de muito sucesso comercial. No entanto, Digimon também teve bastante fama e merece tanta atenção quanto. Sim, Pokémon veio antes, mas as propostas dos dois são na verdade bem diferentes. Então, já está mais do que na hora de parar com essa competição: é possível gostar de ambos. Nenhum é cópia do outro.

Taichi e seu parceiro Digimon, Agumon. Fonte: Divulgação/Toei.

Digimon é uma franquia que evolui junto com a tecnologia, então pessoas de todas as idades podem acompanhar. Recomendamos muito! Se você quiser saber mais sobre a história de Digimon, pode assistir a esse vídeo do canal oficial da Crunchyroll no Youtube (em inglês).


Você assistia Digimon quando criança? Acompanhou suas continuações e outras mídias lançadas? Sabia de suas origens? Teve um Tamagotchi? Conte para a gente nos comentários! E a pergunta mais importante: quem é o seu Digiescolhido e seu Digimon favorito? Estamos muito curiosos para saber! Temos mais posts sobre animes e mangás aqui na Korall Design, então não deixe de conferir. Siga o nosso perfil no Instagram para ficar por dentro de tudo por aqui.

Este post tem um comentário

  1. Puxa aprendi muitas coisas sobre este universo lendo este artigo, obrigada 🥰 Você apresentar por aqui uma verdadeira biografia dos digimons 😉 nem fazia ideias da abrangência de todo este universo criativo. Já assisti alguns episódios da primeira geração, mas havia ficado lá no passado não sabia que seguiram com as criações. Muito legal! Obrigada 😊 gostei 😍

Deixe um comentário